Protagonismo negro

No Museu Florianópolis, Sérgio Adriano H integra mostra coletiva, faz palestra, dá workshop e apresenta a exposição/ação “Não Consigo Respirar”

No Museu Florianópolis Sérgio Grando (SC), o artista Sérgio Adriano H integra amanhã, dia 16, a programação Semana Nacional de Museus – O Poder dos Museus. Presencial, o evento “Negros: O Passado-presente em Florianópolis” faz conexões com o fato de que o prédio histórico no qual o museu está instalado teve a função primordial de cadeia, onde muitos negros escravizados estiveram presos. A agenda afirma a importância, o urgente resgate e a visibilidade da história e da cultura negras local em um evento cuja projeção é nacional.

Proposta pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) aos museus do país, a iniciativa alude o Dia Internacional dos Museus, comemorado em 18 de maio. Somam-se ainda às referências o calendário que relembra a assinatura da Lei Áurea, no dia 13 de maio de 1888.

“Negros: O Passado-presente em Florianópolis “envolve convidados ligados ao movimento negro ou temas relacionados à negritude. Sérgio Adriano H participa de uma exposição coletiva, dá um workshop de fotografia, faz a palestra “Ser Negro, Um Corpo Sem Direitos” e apresenta a exposição/ação “Não Consigo Respirar”.

Confira  as ações que o envolvem no Museu Florianópolis.

“CoMuM”, a exposição coletiva reúne Gugie Cavalcanti, Bruno Barbi e Sérgio Adriano H. Apresenta parte da produção recente nas seguintes séries: “Gestos”, de Gugie, “Pertencimento”, de Barbi, e “Ser Negro”, de Sérgio.

O workshop de fotografia, na Sala do Educativo e voltada para pessoas com idade acima de 16 anos, demonstra como a imagem nos leva a pensar, e o que pensar a respeito da imagem? Com base na filosofia e na história da arte, o artista propõe um diálogo sobre fotografia, performance, corpo, imagem e representação. Ele apresenta os conceitos da fotoperformance, artistas representativos, as técnicas básicas e a diferenciação entre fotografia de registro da fotoperformance.

            A exposição/ação “Não Consigo Respirar” é composta por fotografias realizadas pelo artista durante a pandemia da covid-19, apresenta dez autorretratos do artista sobrepostos por elementos cuja simbologia é alusiva a temas como a escravidão e ao ser negro no Brasil. Em frente ao Museu de Florianópolis, o artista se põe em ação e em diálogo com o público passante. “Em um mundo cada vez mais conectado na ignorância coletiva, a arte, cumpre seu papel resiliente no despertar dos questionamentos e na liberdade individual de pensar, concluir e se expressar”, diz Sérgio Adriano H.

            Na palestra “Ser Negro, Um Corpo Sem Direitos”, como mestre em filosofia pela Faculdade São Bento (SP), o artista pesquisa conceitos como a verdade, o conhecimento, os apagamentos históricos brasileiros e, como o negro é apresentado para a sociedade a partir da definição pejorativa do Dicionário da Língua Portuguesa.

Projeto “Não Consigo Respirar” começa circulação na Capital

Na estrada de novo, Sérgio Adriano H realiza mais um projeto de circulação por Santa Catarina que abrange sete cidades do Estado – Florianópolis, Blumenau, Itajaí, Joinville, Chapecó, Criciúma e Lages, além de São Paulo e Rio de Janeiro. Tudo começa na Capital, na calçada da Fundação Cultural Badesc, na terça-feira, dia 17, entre 10h e 15h. A conquista do Edital Elisabete Anderle de Apoio à Cultura / Artes 2020, conduzido pelo governo do Estado, possibilita ao artista realizar o que ele denomina como intervenção urbana/exposição/ação, quando expõe na rua, diante de uma instituição ou em praça pública. Os trabalhos foram selecionados pelo curador Claudinei Roberto da Silva.

Em consonância com uma poética de contestação que denuncia o racismo estrutural no Brasil e convida a pensar no drama dos invisibilizados, quer pela cor da pele, pela sexualidade ou condições sociais, Sérgio Adriano se apropria das últimas palavras de George Floyd, homem negro norte-americano que em 2020, nos Estados Unidos, foi algemado, jogado ao chão e sufocado até a morte por um policial branco.

As dez fotografias (80 x 120 cm) que constituem o projeto são fotoperformances da série “Ar Branco e Puro”, realizada em 2020 durante o isolamento social imposto pela pandemia da covid-19. Nestes autorretratos, faz referência à máscara de Flandres, peça para cobrir o rosto fabricadacom folhas de flandres e usada no período da escravidão do Brasil para impedir a alimentação dos escravos. Com materiais ordinários do cotidiano, como sabão, garfo, faca, tijolo, brocha e cédulas de dinheiro em real e dólar, o artista estabelece analogias entre o passado e o contemporâneo para chamar a atenção sobre o ser negro no Brasil. Em frente ao Museu de Florianópolis e da Fundação Cultural Badesc, em Florianópolis, ele se põe em ação e em diálogo com o público passante. “Em um mundo cada vez mais conectado na ignorância coletiva, a arte cumpre seu papel resiliente no despertar dos questionamentos e na liberdade individual de pensar, concluir e se expressar”, diz Sérgio Adriano H.

Com mais de 120 exposições individuais e coletivas, referência no cenário brasileiro quando se trata de arte contemporânea afrodescendente, com prêmios e reconhecimento, o artista faz arte desde 2001. Ele expande sua produção na clave fotografia, performance, arte e engajamento. O corpo, a palavra e a história são ferramentas discursivas que também incorporam a cidade, o percurso e o diálogo com o público. Ao discutir vida e morte, o tempo/espaço, aproxima arte e filosofia e faz pensar de modo singular sobre as injustiças.

SERVIÇO

O quê: Intervenção urbana/exposição/ação “Não Consigo Respirar”

Quando: 16.5. 2022, 14h às 19h

Onde: Calçada do Museu de Florianópolis, praça 15 de Novembro, 214, Centro, Florianópolis (SC), tel.: 3222-1333

Quanto: Gratuito

 

O quê: Intervenção urbana/exposição/ação “Não Consigo Respirar”

Quando: 17.5. 2022, 10h às 15h

Onde: Calçada da Fundação Cultural Badesc, rua Visconde de Ouro Preto, 216, centro, Florianópolis (SC), tel.: 3222-1333

Quanto: Gratuito

 

O quê: Palestra “Ser Negro, Um Corpo Sem Direitos”

Quando: 16.5.2022, 16h

Onde: Sala do Educativo, Museu Florianópolis Sérgio Grando, praça 15 de Novembro, 214, Centro, Florianópolis (SC), tel.: 3222-1333

Quanto: Gratuito

O quê: Workshop de fotografia

Quando: 16.5.2022, 9h às 13h

Onde: Sala do Educativo, Museu de Florianópolis, praça 15 de Novembro, 214, Centro, Florianópolis (SC), tel.: 3222-1333

Quanto: Gratuito

Inscrições: https://forms.gle/8hgDRABFAywmuUe37

Vinte vagas. Divulgação dos selecionados no site do Museu de Florianópolis a partir de 11.05.

O quê: “CoMuM” – exposição coletiva

Quando: 16 a 22.5.22, seg a sex, 10h às 18h; sab e dom, 10h às 14h

Onde: Café do Museu Florianópolis Sérgio Grando, praça 15 de Novembro, 214, Centro, Florianópolis (SC), tel.: 3222-1333

Quanto: Gratuito

Circulação em Santa Catarina

Florianópolis, Museu Florianópolis – 16.5.22 – 14h às 19h

Florianópolis, Fundação Cultural Badesc – 17.5.22 – 10h às 159h

Itajaí, Calçadão da Hercílio Luz – 18.5.22 – 9h às 14h

Criciúma, Praça Nereu Ramos –20.5.22 – 9h às 14h

Lages, Praça da Catedral – 21.5.22 – 9h às 14h

Chapecó, Praça Coronel Bertaso – 22.5.22, 9h às 14h

Blumenau, Museu de Arte de Blumenau, rua 15 de Novembro, 161, centro – 24.5.22, 9h às 14h

Joinville, EEB. Profº. Germano Timm, rua Eduardo Krisch, 34, bairro América – 25.5.22, 7h às 12h

São Paulo, Choque Cultural, data a definir

Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN), data a definir

 

REALIZAÇÃO

Edital Elisabete Anderle de Apoio à Cultura ∕ Artes – Edição 2020, Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Governo do Estado de Santa Catarina

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *