Subversão das palavras, facada linguística

O Brasil é a babel do vocábulo impróprio, coisa que começou com Fernando Collor, caçando marajá. Agora, o Bolsonaro também faz uso dessa babel chamando seus inimigos de “comunista”. O brasileiro não define o comunista, ele coloca qualidades nesse conceito. Que compreender. E essa babel se refaz à exaustão agora na guerra envolvendo Putin e a Ucrânia. Subvertem-se como palavras. O que é outra vira coisa. Este é o tema do comentário de Gilberto Felisberto Vasconcellos, veiculado no programa Campo de Peixe, da Rádio Campeche, conduzido pela jornalista Elaine Tavares. (05.03.22)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *